Lesão dos Tendões Extensores na Mão

Rui Ferreira - Mauri Cortez


O Que é:


Tendões são estruturas que continuam os músculos, fixando-se nos ossos, produzindo movimento na sua contração. Os TENDÕES EXTENSORES estendem, abrem os dedos quando a mão está fechada. Dependendo do músculo e da função o tendão é forte e grosso. Na mão, a medida que vão chegando a extremidade distal dos dedos, tornam-se estruturas mais complexas, finas e delicadas.
No punho, para serem distribuídos para os dedos, os tendões extensores passam por 6 túneis, onde são agrupados mais ou menos pela direção e pela função. São divididos em zonas, numeradas de 1 a 8. Os zonas de números impares 1, 3, 5 e 7 correspondem às zonas articulares e as de números pares às zonas entre as articulações.
Lesões traumáticas e não traumáticas são bastante peculiares em cada uma dessas zonas.


O Que Causa

Como toda estrutura da mão, os tendões extensores estão sujeitos aos traumas e diferentes patologias. Como estão praticamente abaixo da pele, são muito vulneráveis, de fácil palpação e visão.
As Zona I e III -
Lesões dos Tendões Extensores nos Dedos são patologias bastante particulares e foram explicadas. As lesão nas Zonas ímpares, zonas articulares, apresentam certa particularidade.


Na Zona V, além das lesões por corte, abertas, é freqüente a lesão da banda sagital, em movimentos que há lateralidade e flexão forçada dos dedos. Hábitos de estalar os dedos podem levar a essa lesão.


Na Zona VII, região do punho, duas tendinites particulares: a TENDINITE DO 1º COMPARTIMENTO e o 6º COMPARTIMENTO.

Nas Zonas II, IV, VI e VIII as causas mais comuns de lesões são os traumatismos.

Sinais e Sintomas

Dor edema e impossibilidade de realizar a extensão do dedo em que o tendão está lesado.




Diagnóstico

A simples inspeção e impossibilidade de levantar o (s) dedo (s) ou o punho. A localização do corte ou da cicatriz da indícios da localização da lesão

Tratamento

O tratamento das lesões nestas Zonas é sempre cirúrgico, constando de uma TENORRAFIA - sutura do tendão, onde são empregadas técnica e fio especiais.
Normalmente após a cirurgia, a região é imobilizada numa posição forçada de hiper extensão durante 3 semanas. Em alguns casos, e localização pode ser colocada uma ÓRTESE DINÂMICA - aparelho confeccionado com material termo moldável e um sistema de tração, para a mobilização precoce.
O tratamento FISIOTERÁPICO nas lesões tendinosas é suma importância. Aderências são comuns e a fisioterapia atua no intuito de impedir, controlar e tratá-las. Normalmente o tratamento dura dois a três meses, com a ajuda do paciente, que é o fator mais importante.